Entenda a diferença entre técnico e tecnólogo

Conteúdos

diferença entre técnico e tecnólogo

Ao buscar por um curso profissionalizante, a diversidade deles e das formas de ensino disponíveis podem trazer confusão na hora da escolha. 

Algumas instituições oferecem, em suas grades de cursos, tanto os de nível médio e técnico quanto os de nível superior. Além disso, apresentam terminologias como cursos técnicos e tecnólogos. Por terem uma pronúncia parecida, esses dois últimos trazem uma confusão entre seus níveis de ensino.

Pensando nisso, vamos explicar os conceitos e especificações de cada uma dessas formações, abordando a diferença entre técnico e tecnólogo.

Ambos são cursos de formação profissional que facilitam e aceleram o ingresso do aluno no mercado de trabalho. Os cursos técnicos e tecnólogos ajudam o estudante a se especializar em determinada área em um tempo reduzido se comparado ao tempo de formação de uma graduação (nível de ensino superior), por exemplo. Já os tecnólogos têm uma duração um pouco maior e são voltados para a preparação de profissionais que podem exercer cargos mais elevados dentro de uma empresa.  Vejamos com mais detalhes essas diferenças! 

Técnico

São programas de nível médio cujo propósito é capacitar o aluno com conhecimentos teóricos e práticos das diversas atividades do setor produtivo. Podem ser cursados por quem ainda está cursando o Ensino Médio.

Os cursos técnicos costumam durar de um a dois anos e preparam o aluno para entrar no mercado de trabalho. Eles são divididos em quatro categorias:

Curso técnico integrado – o aluno pode começar a fazer esse tipo de curso logo após terminar o ensino fundamental e concluir o primeiro ano do ensino médio. Ao concluir o curso, o estudante recebe dois diplomas, o de ensino médio e o do curso técnico escolhido.

Curso técnico externo, ou concomitante – nesse caso, o curso é feito separadamente do ensino médio, mas os dois podem ser feitos ao mesmo tempo.

Curso técnico profissionalizante ou subsequente – é feito pelos estudantes que já concluíram o ensino médio, mas que desejam se profissionalizar.

Formação inicial e continuada ou qualificação profissional – são cursos técnicos de baixa duração, destinados a trabalhadores e estudantes. Dentro dessa categoria, é possível encontrar cursos voltados para aqueles que não concluíram o ensino fundamental. Assim como os demais, são reconhecidos como qualificadores profissionais. Cabe destacar que, ao final do curso, o aluno não vai receber um certificado de ensino médio ou um diploma de técnico. Ele obterá apenas um certificado para exercer uma determinada função produtiva.

Alguns exemplos de áreas ou eixos de curso técnico são:

  • Gestão e Negócios;
  • Ambiente e Saúde (como o nosso curso de Enfermagem);
  • Recursos Naturais;
  • Turismo, etc.

Acesse o site do Ministério da Educação (MEC) para conhecer todas as áreas disponíveis, mas não deixe de pesquisar sobre a qualidade do curso que escolher. O MEC não controla o credenciamento dos cursos técnicos, isso é responsabilidade de cada Estado, ou seja, das Secretarias de Educação. Por isso, é necessário você pesquisar bastante sobre a instituição escolhida tendo muita atenção e cuidado na hora de decidir onde estudar.

Os cursos técnicos são reconhecidos por ordens de classe, no caso do Técnico em Enfermagem pelo Conselho Regional de Enfermagem de cada Estado. 

Tecnólogo

As diferenças do tecnólogo para o técnico são três. 

  1. A primeira delas diz respeito ao nível de ensino. O tecnólogo é um curso de nível superior, também conhecido como curso superior de tecnologia. O aluno só poderá ingressar após a conclusão do ensino médio. 

  2. A outra diferença está no título recebido, os tecnólogos oferecem título de curso superior, como uma graduação. 

  3. A duração desse curso é, em média, de 2 a 4 anos.

Ao concluir um tecnólogo, o aluno está liberado para prestar concursos públicos de nível superior e cursar uma pós-graduação.

Se comparada a um curso de graduação tradicional, os cursos tecnólogos têm uma duração menor, normalmente de dois a três anos, e as disciplinas são voltadas para a prática. Por esse motivo, ele consegue preparar os alunos para o mercado de trabalho em menos tempo.

Instituições de Ensino Superior estão aptas a oferecer cursos tecnólogos. Confira os cursos existentes no eixo Ambiente e Saúde de acordo com o Catálogo Nacional de Cursos do MEC (Ministério da Educação):

  • Estética e Cosmética
  • Gestão Ambiental
  • Gestão de Recursos Hídricos
  • Gestão de Resíduos Sólidos
  • Gestão Hospitalar
  • Radiologia
  • Saneamento Ambiental
  • Sistemas Biomédicos
  • Tecnologia Oftálmica

Técnico e tecnólogo no mercado de trabalho 

Embora ambas as formas de ensino tenham em comum o objetivo de formar profissionais de forma rápida, atendendo as demandas do mercado, existe uma diferença crucial entre eles. E essa diferença vem do tipo de aprendizado dado ao aluno. A colocação dos recém-formados no mercado de trabalho tem influência direta no modelo de ensino escolhido. Cabe ao aluno, então, decidir qual melhor se encaixa nos seus objetivos e perfil. 

De forma geral, o curso técnico prepara o aluno para tarefas mais operacionais, aquelas que estão na linha de frente do trabalho, como gestão de equipamentos, logística de produtos ou controle de qualidade, por exemplo.

Seu objetivo é fazer com que os estudantes aprendam o conhecimento teórico e prático de uma profissão, preparando-os, assim, para atuar no mercado de trabalho. A entrada do profissional no mundo do trabalho é bem rápida, já que os cursos têm uma pequena duração.

Quanto aos tecnólogos, esses cursos também buscam preparar o profissional para o mercado, entretanto para exercer cargos de chefia ou gerências dentro das empresas. Esses cargos são bastante disputados e causam, muitas vezes, rivalidade entre os trabalhadores, mas garantem ganhos mais elevados. 

Sua grade curricular é mais extensa e dá ao aluno a possibilidade de dar continuidade aos estudos, por meio da pós-graduação. Deixando em aberto a oportunidade de uma especialização futura. 

É importante frisar, no entanto, que a escolha por um curso técnico não exclui o tecnólogo e vice-versa. Se alguém estiver fazendo um curso técnico não pode se sentir impedido de começar, logo após terminá-lo, um segundo curso tecnólogo. 

Escolhendo os cursos técnico e tecnólogo

Ambas as formações estão em alta no mercado de trabalho e as chances de empregabilidade apresentam bons índices. Se a escolha for baseada apenas nesse quesito as dúvidas podem persistir.

No entanto, para chegar a uma escolha acertada, o estudante precisa levar em conta quais são os seus objetivos, anseios e onde deseja chegar em sua carreira. 

Para você que quer Enfermagem

Se você já sabe que a Enfermagem é o seu caminho, existem então dois caminhos para o ingresso na área, são eles:

  • Fazer um curso técnico de nível médio: nossa escola é especialista no ensino de cursos da área da Saúde, como o curso de Técnico em Enfermagem.

Em geral os cursos de técnico de enfermagem oferecem aos alunos disciplinas teóricas de:

  • Anatomia e Fisiologia Humana;
  • Bioética;
  • Clínica Médica;
  • Enfermagem Cirúrgica;
  • Enfermagem em Emergências;
  • Enfermagem em Pacientes Críticos;
  • Farmacologia;
  • Fundamentos de Enfermagem;
  • Microbiologia e Parasitologia;
  • Relações Humanas;
  • Saúde Coletiva;
  • Saúde da Criança e do Adolescente;
  • Saúde da Mulher;
  • Saúde do Idoso;
  • Saúde Mental.

Além disso, os alunos precisam vivenciar na prática o dia a dia da profissão por meio do estágio obrigatório que dura de 400 horas, podendo a chegar a 600 horas, já previsto na grade curricular do curso. Isso, claro, com a supervisão de algum profissional preparado para orientá-los.

O técnico de enfermagem pode se especializar em algumas áreas. Na enfermaria de um hospital, área mais conhecida, pode exercer as funções de:

  • Alimentar pacientes;
  • Prepará-los para a realização de exames;
  • Executar os tratamentos prescritos pelos médicos, como nebulização, troca de soro, vacinas, coleta de material para exames laboratoriais;
  • Cuidar dos pacientes pré e pós-operados;
  • Fazer a desinfecção e esterilização de equipamentos usados nos centros cirúrgicos;
  • Efetuar os primeiros procedimentos em caso de morte do paciente, entre outras funções do cargo. 

Em empresas são responsáveis por: 

  • Auxiliar na observação de doenças causadas dentro do ambiente de trabalho;
  • Fazer visitas em domicílio e em hospitais aos trabalhadores que tiveram alguma doença causada no local de trabalho;
  • Participar de programas para prevenção de acidentes;
  • Participar de tarefas em campanhas de educação sanitária;
  • Auxiliar na realização de exames pré-admissionais, periódicos e demissionais;
  • Auxiliar nos primeiros socorros, sob a supervisão de um enfermeiro, fazendo curativos, administrando medicação, etc.;
  • Fazer treinamentos com os trabalhadores, instruindo-os quanto ao uso dos equipamentos de segurança para evitar acidentes e outras funções pertinentes ao cargo. 

O profissional também pode atuar em escolas e creches (trabalhando para a saúde e o bem-estar dos alunos), ambulatórios, domicílios, SPA, clinicas, entre outros, sob a supervisão de um enfermeiro. 

  • Fazer uma graduação de nível superior: Bacharelado ou Licenciatura em Enfermagem em Instituições de Ensino Superior – faculdades e universidades oferecem o curso, tanto na modalidade presencial quanto a distância (EAD).

A graduação tem duração média de 4 anos. 

Não existem cursos de tecnólogo para Enfermagem, como você pode consultar no Catálogo Nacional de Cursos do MEC. 

A graduação conta com disciplinas da área de Ciências Biológicas, além de administração, psicologia e sociologia. Os alunos também fazem um estágio obrigatório e, ao final do curso, apresentam o Trabalho Final de Conclusão de Curso (TCC)

Além de poderem exercer as mesmas funções dos técnicos, os graduados trabalham com a administração das tarefas, coordenando as equipes técnicas e os auxiliares nos cuidados com os pacientes.

A diferença entre técnico e tecnólogo são evidentes, mas ambos os cursos dão enfoque para as disciplinas práticas, já que entendem a importância do "pôr a mão na massa" para a formação de profissionais de qualidade.

Você quer entender melhor a importância do estágio para um profissional técnico de enfermagem? Então, não deixe de ver o nosso artigo sobre "A importância do estágio no curso Técnico em Enfermagem" e saiba mais!