5 dicas para enfrentar os desafios em conciliar carreira e maternidade

Dicas para enfrentar os desafios em conciliar carreira e maternidade

Ser mãe é uma ocupação em tempo integral e, para muitas mulheres, ter um filho não é sinônimo de largar a carreira. Ou seja, há um acúmulo de funções. A licença maternidade dura apenas seis meses e, quando termina, a nova mãe deve encarar desafios como amamentar no horário do expediente, encontrar alguém que cuide do bebê enquanto trabalha e lidar com a enxurrada de emoções que dificultam a concentração em qualquer tarefa.

Sabemos que conciliar carreira e maternidade não é uma tarefa nada fácil. Pensando nisso, trouxemos 5 dicas para te ajudar a enfrentar — e aproveitar! — esse momento da vida. Continue a leitura!

1. Encontre apoio na família e amigos

Seja conversando com os avós do seu filho sobre a possibilidade de cuidar dele enquanto você e o pai da criança trabalham ou chamando aquela sua amiga que trabalha com home office para ficar na sua casa alguns dias da semana, não hesite em pedir ajuda!

O apoio de familiares e amigos, inclusive, vai além da ajuda com o bebê. É normal se sentir sobrecarregada e precisar de um ombro querido para desabafar. Procure esse auxílio onde você se sentir mais confortável e vá para o trabalho mais leve e menos preocupada.

2. Saiba administrar suas emoções

Sabemos que sentimentos de culpa e insegurança podem surgir ao deixar o filho para ir trabalhar ou ao sentir que não está dando atenção suficiente ao pequeno. Além disso, a pressão para complementar a renda familiar para dar conta dos gastos com fraldas e consultas com o pediatra torna ainda maior o peso sobre os ombros da nova mãe.

Mantenha em mente que você não precisa ser uma "mulher-maravilha" e dar conta de tudo à perfeição. A maternidade é um momento de descoberta — só se aprende a ser mãe em seu exercício cotidiano. Dedique-se aos preciosos momentos com seu bebê e tente afastar esses sentimentos tóxicos sem invalidá-los.

3. Procure ajuda profissional

O turbilhão de emoções e as novas cargas de responsabilidade não precisam ser sentidos apenas por você e guardados cuidadosamente em uma gaveta no fundo da sua mente. Por isso, se sentir a necessidade e se for financeiramente possível, procure um psicólogo ou terapeuta.

Outra boa opção é participar de um grupo de apoio de mães que também estão lutando para conciliar maternidade e carreira. Assim, será fácil perceber que os seus sentimentos são compartilhados por diversas outras mulheres e que você não está sozinha.

4. Organize sua rotina

organização será uma peça chave para que consiga tirar o máximo das 24 horas diárias. Por isso, reúna-se com seu parceiro para planejar e dividir as tarefas de casa, as responsabilidades e os cuidados com o bebê. Inclua-o com o carinho e a atenção que você quer receber dele.

Não deixe que o excesso de cansaço e de responsabilidades sejam maus conselheiros e cause danos irreversíveis aos seus relacionamentos pessoais. 

Mesmo com a rotina atribulada, encontre um tempo para descanso e lazer, mantendo uma rotina de autocuidado, mesmo que seu filho e seu trabalho estejam ocupando muito do seu tempo. Com calma tudo acaba se resolvendo, acredite!

5. Aproveite!

Aproveite o tempo com seu filho e emocione-se da mesma forma caso tenha que testemunhar seus primeiros passinhos pela tela do celular. São outros e novos tempos!

Lide com o acúmulo de funções com mais otimismo. Essa nova vida também traz esperança e estímulo para seu crescimento pessoal e profissional. Quando as sensações ruins aparecerem, sonhe com o futuro que quer construir.

Se você deseja iniciar um curso, retomar seus estudos ou está de olho em uma promoção no trabalho, acredite! Seu interesse é energia pura e só o que precisa para concretizar seus desejos. 

Lembre-se que seu filho futuramente vai orgulhar-se de suas realizações profissionais e inspirar-se em sua força para crescer.

Conhece outras mulheres tentando conciliar carreira e maternidade? Compartilhe este artigo nas redes sociais — quem sabe esse não pode ser o início de uma rede de apoio?

Comentários

Posts Relacionados