Cuidador de idosos: o que você precisa saber sobre a profissão

Cuidadora auxiliando idoso a utilizar um notebookVocê já reparou como a profissão de cuidador de idosos está em alta nos últimos anos? Um dos principais motivos para isso é o envelhecimento populacional — tanto no Brasil quanto no resto do mundo.

Para se ter ideia, segundo o IBGE, o número de pessoas na terceira idade cresceu 18% no país entre 2012 e 2017, e a expectativa é que esse percentual continue aumentando pelos próximos anos!

Como resultado dessa longevidade, é cada vez mais comum os casos de pessoas que necessitam de acompanhamento e cuidados especiais, por conta de dificuldades de locomoção, senilidade, problemas de saúde, acidentes etc. Em outras palavras, essa área se tornou essencial para que muita gente possa recuperar o seu bem-estar e ter, acima de tudo, mais qualidade de vida.

Contudo, ainda há quem tenha muitos questionamentos sobre o ramo e como é o mercado de trabalho para quem deseja ser cuidador. Por essa razão, preparamos este post especial para sanar todas as suas dúvidas! Acompanhe:

O que é preciso para atuar na área?

Bom, ao decidir atuar nessa área, você precisa realizar um curso de cuidador de idosos, para adquirir os conhecimentos teóricos e práticos exigidos pela profissão.

É nele que você entenderá questões ligadas à legislação trabalhista, por exemplo — além de desenvolver as competências e as habilidades necessárias para lidar com os mais diferentes cenários em que o idoso pode se encontrar, como dificuldades motoras e doenças crônicas.

Porém, antes de qualquer coisa, é fundamental ter afinidade com o ramo. Afinal, você vai atender outras pessoas, acompanhar de perto a vida delas e participar ativamente tanto de momentos bons quanto situações difíceis.

É indispensável ter maturidade emocional, ser proativo e respeitoso e ter a capacidade de se pôr no lugar do próximo — isso é, ter empatia. Somente assim você realizará um trabalho primoroso e, consequentemente, contribuirá para uma melhora significativa no bem-estar físico e psicológico do idoso.

Quais são as funções de um cuidador de idosos?

A rotina de trabalho de um cuidador não se resume apenas ao acompanhamento de um idoso (que pode ou não ter limitações físicas e psicológicas) e ao auxílio em atividades corriqueiras relacionadas à higiene e à alimentação. Na verdade, ela engloba ainda outros aspectos essenciais do seu dia a dia.

Entre os principais deles, podemos destacar:

  • a administração de medicamentos orais;
  • a prestação de atendimento de primeiros socorros;
  • o amparo na realização de exercícios fisioterapêuticos e funcionais;
  • a condução do idoso até consultas e sessões médicas externas.

Importante ressaltar que todas as atividades como administração de medicamentos, exercícios fisioterapêuticos são exercícidos sob orientação de profissionais da equipe multidisciplinar: médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, etc.

Como é o mercado para essa profissão?

Quando se fala em cuidador de idosos, muita gente pensa logo naqueles que prestam atendimento domiciliar e, várias vezes, até intercalam as atividades da rotina com os serviços de profissionais da área da saúde (como fisioterapeutas, enfermeiros, médicos etc.).

De fato, isso não está errado. Essa, inclusive, é uma das formas de atuação mais frequentes para quem faz parte desse ramo e optou por ser um profissional liberal — isto é, trabalhar de forma independente, sem vínculos com empresas e montando os próprios horários.

Há quem atue em período integral para um único paciente e quem exerça meio período, fazendo parte da rotina de dois ou mais idosos (a manhã dedicada a fulano e a tarde dedicada para ciclano, por exemplo).

No entanto, o mercado ainda oferece muitas outras opções de trabalho. Prova disso é que os cuidadores podem ser contratados para atuar em clínicas de reabilitação, asilos, hospitais, casas de repouso e até agências especializadas no serviço de cuidados e acompanhamento de pessoas na terceira idade.

Como é a jornada de trabalho?

A jornada de trabalho pode ser de 40, 42 ou 44 horas semanais, caso seja integral — independentemente de você prestar serviço para uma instituição ou uma pessoa de maneira exclusiva.

Contudo, ela também pode ser mais flexível e ter um número inferior de horas, caso seja parcial — algo que pode ocorrer se você é profissional liberal e acorda com a família apenas uma escala de horários/dias para acompanhar o idoso.

Ou seja, sua jornada dependerá, basicamente, da forma como você exercer essa importante atividade.

Quanto ganha um cuidador de idosos?

Outra dúvida frequente diz respeito a quanto ganha um cuidador de idosos. Afinal, assim como acontece nas demais profissões, as pessoas buscam carreiras que proporcionem um bom retorno financeiro, não é mesmo?

Saiba que, de acordo com o levantamento feito pelo portal Salário — que analisou uma amostra de 18795 salários em todo o território nacional —, a renda média obtida para uma jornada de trabalho de 40 horas em regime CLT é R$ 1.137,68.

Dos estados analisados, os que se destacam com maiores valores mensais são, em ordem decrescente:

  • Roraima (R$ 1.501,88);
  • Santa Catarina (R$ 1.338,22);
  • Paraná (R$ 1.288,15);
  • Rio de Janeiro (R$ 1.281,81);
  • Rio Grande do Sul (R$ 1.248,93).

Além disso, como já falamos, o profissional pode atuar de forma autônoma e/ou fazer parte do quadro de funcionários de clínicas, agências, casas de repouso e afins. Logo, dependendo da forma de atuação e da sua experiência profissional, os ganhos podem variar e chegar a uma média de R$ 1.768,83, como apontado pelo relatório.

Quais são as vantagens e desvantagens da área?

Por fim, ainda há outra dúvida que algumas pessoas se fazem: há vantagens e desvantagens na área? A resposta é sim. Entretanto, elas dependerão muito mais da forma como você encara a profissão e, principalmente, da sua formação.

A razão disso é que, como já mencionamos, o número de cuidadores tem crescido nos últimos anos. Com esse aumento da demanda, os contratantes (pessoas físicas ou jurídicas) se tornam cada vez mais exigentes, priorizando a contratação de profissionais que não se deixam estagnar e constantemente investem no ganho de conhecimento técnico para trazer peso ao seu currículo.

Assim, para quem não quer estudar nem se aperfeiçoar, essa questão será uma desvantagem.

Agora, se você entende o valor de investir no aprendizado e na própria capacitação, certamente, esse aspecto será um diferencial na sua carreira e lhe abrirá várias portas. Não é à toa que muitos cuidadores investem em outros cursos para se destacar no mercado, como técnico em enfermagem e primeiros socorros.

E então, sanou todas as suas dúvidas sobre o que é ser cuidador de idosos? Pois agora é a hora de avaliar a sua vocação e o seu interesse pela área e se profissionalizar para construir uma carreira promissora!

Já que falamos do assunto, se gostou deste post aproveite para conferir tudo sobre os principais cuidados com pessoas da terceira idade!

curso cuidador de idosos saiba mais

Comentários

Posts Relacionados