Vacinação: o método de imunização

Vacinação: método de imunização

A imunização está entre os quatro eventos que contribuíram decisivamente para o aumento da expectativa de vida da humanidade, juntamente como saneamento básico, descoberta do antibiótico e outros avanços da medicina.

Mas, quando o assunto é vacinação, algumas dúvidas podem surgir com base em boatos que surgem no dia a dia. 

Pensando nisso, respondemos algumas perguntas frequentes neste post sobre este método de imunização.

Vacina da gripe causa gripe?

A vacina da gripe usa vírus inativado (morto) em sua composição, portanto, NÃO é possível que provoque a doença. É importante destacar que a função da vacina é prevenir. Sendo assim, se a pessoa que foi vacinada já estiver infectada, vai desenvolver a doença. Por essa razão é tão importante se vacinar antes do início da temporada da gripe. Os eventos adversos mais comuns após essa vacinação são: dor, vermelhidão e inchaço no local da aplicação. Febre baixa, dor de cabeça e muscular também podem acontecer.

A mulher que está amamentando não deve receber vacinas?

A vacinação, geralmente, não está contraindicada nessa fase e pode ser realizada normalmente. Aliás, é desejável que ocorra, para evitar que a mãe transmita vírus ou bactérias ao seu bebê. Apenas duas vacinas estão contraindicadas para mulheres que estejam amamentando: febre amarela e dengue. A primeira deve ser evitada nos primeiros seis meses de vida do bebê, exceto quando a mulher viver em zonas de transmissão do vírus — neste caso, a amamentação deve ser suspensa por 10 dias. A vacina da dengue está contraindicada para todas as nutrizes, independentemente da idade do bebê.

Tomar mais de uma vacina ao mesmo tempo é prejudicial para o sistema imunológico?

 A segurança da aplicação simultânea de vacinas e/ou de vacinas combinadas (contra mais de uma doença) é comprovada cientificamente e não sobrecarrega o sistema imunológico. Para se ter uma ideia, durante um resfriado ou uma dor de garganta, uma criança é exposta a quantidade maior de germes do que quando recebe vacinações. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a vantagem da aplicação simultânea é diminuir as visitas à clínica de vacinação ou Unidade Básica de Saúde, o que reduz gastos — com transporte, por exemplo — e facilita a adesão, uma vez que aumenta a chance de completar o esquema vacinal.

Fonte: Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm)

Quer conhecer mais sobre o assunto? 

A nossa Biblioteca pode te ajudar. Confira abaixo algumas obras disponíveis:

IMUNOLOGIA: básica e aplicada dos autores Maria Lúcia Scroferneker e Paula Raffin Pohlmann

PEDIATRIA: consulta rápida (2ª ed) dos autores José Luiz Bohrer Pitrez e Paulo Márcio Condessa Pitrez

 

 

Mais imagens

Comentários

Posts Relacionados