Conheça a incrível história da enfermagem no Brasil

Conheça a incrível história da enfermagem no Brasil

Há uma frase de autoria desconhecida que diz que "A Enfermagem é o poder de cuidar", e ela não poderia estar mais correta. Para atuar nessa área, é preciso saber que o foco da profissão é tão somente o enfermo e que seu produto é a arte de zelar e cuidar do próximo.

Além disso, um bom profissional de enfermagem precisa saber sobre a história de sua profissão, pois só assim aprenderá com os erros que foram cometidos no passado, não cometendo-os no futuro.

Por isso, elaboramos este artigo para contar a história da enfermagem no Brasil, mostrando os momentos mais importantes, qual a origem e os percursores da profissão em nosso país. Ficou interessado? Então, continue a leitura!

Como surgiu a enfermagem no Brasil?

Nativos

O primeiro registro que se tem no Brasil sobre a arte de cuidar de enfermos remonta ao período colonial. Logo após a chegada dos portugueses ao Brasil, foi observada pelas tropas de Pedro Álvares Cabral a prática de cuidar dos doentes pelos próprios nativos indígenas. Em sua maioria, esse cuidado era feito por meio de rituais místicos, com conhecimentos passados por pajés e feiticeiros.

Eles utilizavam toda a vasta fauna e flora que tinham a seu redor para produzirem ervas medicinais, além de já usarem tratamentos como jejum, repouso e o fogo para cauterizar feridas. No entanto, com a colonização e o tráfico de escravos, doenças que antes não existiam em terras brasileiras passaram a amedrontar o povo, como varíola, tuberculose, lepra, doenças venéreas etc.

Quem mais sofreu com essas enfermidades foram os indígenas, que nunca tinham sido expostos a tais vírus e bactérias. Com isso, a população indígena foi dizimada, o que contribuiu para que os religiosos da época abraçassem a tarefa de assistência aos doentes.

Os padres passaram a unir os conhecimentos tanto dos índios como dos escravos, que já utilizavam antídotos contra veneno de cobra, plantas como o guaraná para o alívio de cólicas, nevralgia, enxaquecas etc., faziam pequenas cirurgias utilizando talas de cascas de árvores, ventosa de chifre de boi (que hoje chamamos de ventosaterapia), entre outros métodos.

Primeira Casa de Misericórdia

Com a influência dos religiosos nos cuidados dos doentes, em 1543, foi fundada por Brás Cubas (explorador português) a Santa Casa de Misericórdia de Santos. Logo depois, ainda no século XVI, foram fundadas as Santas Casas do Rio de Janeiro, Vitória, Ilhéus e Olinda.

Durante esse período, uma figura que se destacou foi o Padre José de Anchieta, que, indo além do ensino da catequese e ciências, se dedicou também ao cuidado dos doentes. Em seus documentos oficiais, foram encontradas diversas terapias sobre as doenças mais comuns da época descritas de maneira minuciosa e geralmente com base na utilização de ervas medicinais.

Quem foi Frei Fabiano de Cristo?

Outro indivíduo que ganhou notoriedade na assistência aos enfermos foi João Barbosa, que ficou conhecido como Frei Fabiano de Cristo. Até hoje ele é uma referência de cuidado, caridade e amor ao próximo. Nascido em Portugal, emigrou para o Brasil no início de nossa era de ouro, desembarcando no Rio de Janeiro.

Com o passar dos anos, acumulou grandes bens materiais, mas, durante um sonho, teve uma "epifania" e, a partir daquele momento, decidiu dedicar sua vida a ajudar o próximo, dividindo sua fortuna entre a família, obras de caridade e ações sociais.

Em 1704, entrou para um convento e mudou seu nome de batismo para Fabiano de Cristo. Algum tempo depois, assumiu o cargo de enfermeiro no local, ficando conhecido por dormir ao lado dos doentes e dedicar-lhes amor e compaixão dia e noite.

No entanto, apesar de todos seus feitos, não foi o nome dele que nomeou a primeira escola de enfermagem no Brasil (que veio muito depois de sua morte). Abaixo, confira a história de Anna Nery e sua importância para a enfermagem.

Por que Anna Nery foi considerada a pioneira da enfermagem?

Nascida em 1814 em uma família da alta sociedade brasileira, aos 23 anos casou-se e teve 3 filhos, ficando viúva aos 29, quando seu marido, Isidoro Antonio Néri, faleceu de causas não identificadas.

Viúva e com filhos pequenos para cuidar, Anna Nery precisou prestar serviços de costura para poder sustentar sua família, conciliando o trabalho com a maternidade. Pouco depois, se mudou para Salvador para garantir que seus filhos tivessem uma educação de maior qualidade.

Com o passar dos anos, seus filhos decidiram seguir carreira militar, juntando-se à tropa que foi à Guerra do Paraguai. Munida pelo amor que tinha pelos filhos, Anna solicitou ao presidente da província da Bahia que a deixasse acompanhar seus filhos nos combates, ou que pelo menos ela pudesse estar nos hospitais que atendessem aos combatentes no Rio Grande do Sul

Seu pedido foi aceito e ela foi incorporada ao batalhão na posição de enfermeira voluntária. Durante toda a guerra, não mediu esforços para cuidar das feridas físicas e psicológicas dos soldados, improvisando hospitais e muitas vezes colocando sua própria vida em risco para ajudar os feridos.

Teve a infelicidade de ver um de seus filhos morrer em combate, o que não a impediu de continuar a prestar assistência como enfermeira. Quando regressou à sua cidade natal, depois de terminada a guerra, recebeu diversas homenagens, sendo condecorada com a Medalha Geral de Campanha e a Medalha Humanitária de primeira classe.

Foi também em sua homenagem que, em 1923, a primeira escola de enfermagem de alto padrão brasileira foi denominada com o seu nome, Anna Nery. Ela também é lembrada no dia do Enfermeiro e da Enfermagem, que é comemorado todo dia 12 de maio, recebendo homenagens por todo o Brasil. Ainda no dia do Auxiliar e do Técnico em Enfermagem, comemorado todo o dia 20 de maio, quando do seu falecimento.

Como visto, a imagem da enfermagem sempre foi acompanhada por qualidades como caridade, zelo e amor ao próximo. Hoje em dia, no entanto, além disso, as escolas de enfermagem contam com grandes conhecimentos científicos e modernos equipamentos, tornando a enfermagem indispensável para o funcionamento de qualquer hospital ou estabelecimento de saúde e cuidado.

E então, gostou de saber sobre a história da enfermagem no Brasil? Aproveite a visita e veja dicas de como escolher uma boa escola de enfermagem que auxilie no alcance de seus objetivos profissionais!

Comentários

Posts Relacionados